Inspeção predial: o check-up das edificações

Andando pela Grande Vitória e seus arredores é possível contemplar construções interessantíssimas. Observa-se edificações residenciais e comerciais, edifícios de grande, médio e pequeno porte, prédios modernos e antigos… cada qual com a sua particularidade, como a idade, a intensidade de fluxo ou o tipo de uso e ocupação. Não é difícil de se impressionar com tal diversidade. Raro é encontrar quem se indague quanto à segurança destas edificações.

vitoria

Acidentes com edificações, fatais ou não, motivados pela falta de inspeção e manutenção periódica, ocorrem e isto já está mais que evidente. Não se pode negar que a necessidade de atenção aos riscos que as edificações apresentam para si e para aquelas que estão em seu entorno torna-se cada vez mais clara. É justamente neste panorama que se difunde o termo “Inspeção Predial”.

Inspeção Predial

 A Inspeção Predial é uma das etapas da Engenharia Diagnóstica em Edificações que, para efeito de esclarecimentos, pode ser comparada com a Medicina. Dessa forma, a atividade da Engenharia Diagnóstica é conhecida como o “check-up” das edificações. Neste caso, o trabalho do engenheiro civil especializado pode ser comparado ao de um clínico geral – sim, assim como o corpo humano, as edificações também precisam manter um estado saudável para o seu correto desempenho. Neste “check-up” o profissional de engenharia, assim como na atividade médica, analisa e avalia o corpo do edifício e seus diversos componentes construtivos como sendo o seu “paciente”, em busca de patologias, porém construtivas. Detectando-se alguma anomalia – ou manifestação patológica, como são conhecidas tecnicamente – tal como, trincas, fissuras, infiltrações, desplacamentos e etc, esta será devidamente diagnosticada pelo engenheiro responsável para serem solucionadas da melhor forma no âmbito técnico.

engenharia diagnosticaAinda em comparação com a Medicina, assim como esta, a Engenharia Diagnóstica também inclui diversas etapas: o registro, a análise, o atestado, o diagnóstico e a prescrição. Estas etapas são denominadas de vistoria, inspeção, auditoria, perícia e consultoria e são usualmente classificadas de acordo com a progressividade, ou seja: a vistoria registra, a inspeção analisa, a auditoria atesta, a perícia diagnostica e a consultoria prescreve as soluções. Dessa forma, se a Engenharia Diagnóstica pudesse ser representada como uma escada o primeiro degrau seria o da vistoria e o último o da consultoria, seguindo a ordem anterior. Para poder se chegar ao topo dessa escada, deve-se passar por todos os degraus, de forma que não se pode atingir um degrau sem que se passe pelos degraus anteriores. Assim, por exemplo, para o trabalho de inspeção obrigatoriamente deve-se fazer o trabalho de vistoria.

O que acontece, no entanto, é que muitas pessoas simplesmente negligenciam o papel fundamental deste “médico das edificações”, não se dando conta da importância da saúde predial. Os seres humanos, desde a geração até a velhice, servem-se da Medicina para o seu bem estar. Por que, então, o mesmo não ocorre com as edificações em relação à Engenharia Diagnóstica? As edificações também precisam de cuidados especiais para terem qualidade. Caso não seja desenvolvido e implementado um plano eficiente de manutenção ao corpo predial, pode-se prejudicar o desempenho da edificação, reduzir sua vida útil, depreciar o valor do imóvel e gerar gastos excessivos com a manutenção corretiva, além de colocar em risco a segurança, a saúde e o bem estar de seus usuários. Neste contexto, encontra-se a Lei de Evolução de Custos, de Sitter (1984), que demonstra que os custos de correção crescem segundo uma progressão geométrica de razão cinco. O que quer dizer que, a manutenção corretiva custará por volta de cinco vezes mais que a manutenção preventiva.

A regra número um da Medicina Moderna é justamente a prevenção. O mesmo ocorre com a Engenharia. Assim sendo, a Inspeção Predial pode ser entendida como uma ferramenta de extrema importância dentro da Engenharia Diagnóstica em Edificações para detectar falhas e corrigir anomalias com base em conhecimentos técnicos, favorecendo a qualidade predial como um todo e trazendo benefícios aos seus usuários, seja por meio da economia gerada com a prevenção de problemas, seja pela garantia de segurança e bem-estar.

 

Comentarios

comentarios